=

Prepare-se para entrar em uma zona...: Escolhi o filme errado

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Escolhi o filme errado

Na tradição japonesa o número 4 é um número de azar. Os japoneses são tão supersticiosos que nos edifícios os andares pulam de 3 para 5. Já escutei que isso se deve ao fato de que uma das formas de pronunciar o 4 em japonês é "Shi" ou "Shin" que é muito parecido com "Shinda" que significa "morreu".

Sei lá se isso é verdade, mas o fato é que o número 4 é execrado pelos japoneses. Bom, eu nunca acreditei nisso, então para mim tanto faz. Mas o fato é que um dia específico da minha vida recente, foi no mínimo angustiante.

E por um acaso, caiu numa quarta-feira.

Eu não acredito nessas balelas supersticiosas, gato preto, espelho quebrado, ou número quatro. Mas é bom ter algo que lhe traga algo de bom. Pode ser qualquer coisa, de preferência randômica, que quando acontece te deixa feliz, mesmo que por um breve momento.

Por exemplo, toda vez que eu encontro um Mustang na rua, ou em uma loja eu considero isso bom, já que adoro Mustangs. Mas tem uma coisa que eu escolhi para que fosse algo como um "biscoito da sorte" diário. Eu ouço sempre a mesma rádio, hoje só me sobra a Kiss FM que é a única em que não corro o risco de escutar alguma tranqueira musical.

Então, toda vez que uma música do Clapton toca, eu considero um sinal de que algo bom vai acontecer. Isso porque não é sempre que eles tocam as músicas dele.

Nessa fatídica quarta-feira, o dia começou bem. Eu estava preocupado com uma apresentação que teria que fazer à noite, porque não consegui dar a devida atenção ao tema. Assim que entrei no carro e liguei o rádio estava tocando "I can´t Stand it", já quase no fim, mas não importa. Bom sinal!

Beleza. Fui ao escritório e aí o dia começou a ficar ruim. Aconteceu de tudo, fornecedor que não aparece, boleto com vencimento para dois dias e nota que não chega...

Ah, isso sem contar que no final de semana anterior tivemos um pequeno desentendimento com um integrante do grupo da Pós graduação. Nada sério, mas assunto chato de resolver.

E provavelmente seria resolvido nessa mesma quarta.

Putz! Era só o que faltava. Que quarta-feira de cão-que-caiu-da-mudança-em-dia-de-chuva-de-granizo-no-dia-mais-frio-do-inverno-russo (bom aí acho que estaria nevando, mas é só para tentar exprimir o belíssimo dia que estava sendo até então).

Mandei um e-mail para uma amiga, numa tentativa quase desesperada que algo bom acontecesse naquele dia. Porque do jeito que estava indo, a minha apresentação seria patética, o pequeno desentendimento se tornaria um verdadeiro embate entre os integrantes e a minha ex-mulher resolveria ligar para "conversar".

Não escrevi nada de mais, mas gosto muito de receber as mensagens dela, então se acontecesse ainda na quarta, seria algo bom e amenizaria bastante esse dia tão empolgante (ou seria "empalante"?).

Chegou a hora de ir à pós. Por masi incrível que pareça, nem peguei trânsito e cheguei super cedo. Aproveitei para estudar a apresentação.

Na hora que começaram a ordem foi aleatória, e como alguns grupos ficariam para a próxima aula, eu não fiz questão de ser o primeiro e agradeço ao meu grupo que me apoiou nessa decisão.

Ficaram um pouco desapontados porque queriam apresentar no dia, mas eu achava que faria melhor na aula seguinte.

Aí, quando a segunda apresentação do dia estava para terminar... PAAAAAM! E tela azul do windows.

E não teve ninguém que encontrasse o defeito e conseguisse fazer o computador funcionar de novo. Todas as apresentações postergadas até a próxima aula. Nem acreditei!

Cheguei em casa, e lá estava o e-mail da minha amiga. Curtinho, simples, mas com a boa energia que eu precisava.

Legal. Vou jantar e ver um filme. Tinha duas opções: Jackie Chan e Clint Eastwood.

Jackie Chan sempre é legal, divertido, com alguma mensagem positiva, o esterótipo do "bom moço".

Eastwood, é mais dramático. Esse filme particularmente tem uma sinopse séria. É o Torino, e quero muito ver esse filme. Mas achei que o Jackie Chan seria uma escolha mais light.

O filme se chama "Massacre no bairro Chinês". Um título incomum para os filmes do Jackie, mas vamos lá.

Cara. Que escolha errada! O filme tem só uma única cena engraçada. Depois começam as desgraças. Uma atrás da outra. Descobri depois que esse filme foi proibido na China, por causa das cenas violentas.

E para um filme do Jackie Chan, é bem pesado mesmo. Fala sobre os imigrantes ilegais chineses no Japão. Como se viram para viver, os empregos que ninguém quer fazer, os roubos e brigas de gangues.

Não era bem isso que eu estava procurando. Mas enfim...

Escolhi o filme errado.


0 Comentários: