=

Prepare-se para entrar em uma zona...: Fevereiro 2009

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Encontro às escuras - Parte 3

E o que se escreve para alguém que conhece alguém que quer te conhecer?

Pensei, escrevi e apaguei um monte de vezes. Acabei ficando com o mais óbvio: "Oi, como faço para falar com a sua amiga?"

Só faltava ela responder: "QUE amiga? E quem é você?", mas em vez disso ela me enviou o nome, telefone e e-mail da amiga dela.

Muito bem, ela se chama Júliana e parece que é engenheira. Agora a questão é? Ligo ou mando um e-mail primeiro?

Se ligar digo o quê? "Olá eu sou o cara que você quer conhecer"? Credo, nem se fosse um trote eu diria isso. Vamos ver. Acho melhor enviar um e-mail primeiro. Dessa vez foi ainda mais complicado, mas das 20 primeiras linhas que escrevi, acabei ficando com 2, que diziam mais ou menos: "Oi, uma amiga em comum me deu seu e-mail. Como vai você?"

Que mais eu poderia dizer? Aí fiquei esperando a resposta. No dia seguinte estava lá. E era bem mais do que eu poderia esperar. Ela fez a apresentação dela. Engenheira, formada e pós-graduada (putz! Só isso já me fez sentir um certo complexo de inferioridade), morou no exterior, trabalha como consultora (agora eu já tinha certeza do complexo), pratica esportes regularmente e de competições, gosta de coisas simples...

Cacilda! Como uma mulher assim está andando sozinha por aí? COm um perfil desse deve chover homem na horta dela. Ou não. Deve ser feia ou chata pra diabo. Vai ver é um enrosco e como tenho uma certa tendência para curva de rio, já fiquei meio desconfiado.

Mas mesmo assim, ela foi tão gentil em sua mensagem que achei de bom tom responder, agora com mais de duas linhas.

Não entrei muito nos detalhes técnicos, até porque não tenho muito o que falar. Mas esse e-mail foi mais longo, mais descontraído e logo foi respondido. Mas dessa vez ela já deu a deixa para eu ligar para ela em vez de ficarmos escrevendo.

Bom, para falar a verdade, ela pediu mesmo. E aí eu não tive escolha, como voltar atrás agora? Nem queria, mas essa não era uma opção.

Liguei, conversamos alguns minutos e marcamos um encontro. "Que tal comida japonesa? " ela sugere, "Você gosta?" e eu respondo que sim, claro. Eu adoro. Mas que poderíamos ir a um outro lugar se ela quisesse, "que tal o Outback? Gosta?", "Eu adoro ir ao Outback".

Então fechamos o lugar, mas em qual deles? Ela mora e trabalha meio longe de onde estou, mas não importa, escolhi o mais próximo dela e marcamos um horário.

Desliguei o telefone e pensei triunfante: "Agora, ferrou!"


terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Encontro às escuras - Parte 2

Por mais que eu tentasse me concentrar no trabalho, ou me distrair com alguma outra coisa, um pequeno pedaço de papel atraía minha atenção.

Nele havia somente um endereço de e-mail anotado. Que dúvida! Mando o e-mail ou não? Melhor buscar mais informações.

Conversando com meu amigo descubro que as garotas, uma das quais supostamente estaria interessada em me conhecer, participaram de um evento esportivo. Uma característica a favor, já que pratica esportes deve estar em forma ou ao menos pretende.

Nesse tipo de evento, costumam fotografar os participantes. Uma espécie de agrado aos esportistas que acabam aparecendo no site do evento, mostram a foto aos amigos e parentes e, não importa qual colocação, acabam sempre saindo bem na foto.

Beleza! Achei o site depois de algumas consultas ao Google. Mais alguns links e lá estava a foto dela.

Bom, dela e de mais uma centena de pessoas. Alguns tiveram a sorte de serem fotografados em close, mas esse não foi o caso dela. Justo ela? Ah! Vamos ver o que consigo.

Primeiro localizei a garota que conheço. "Excelente. Tem que ser essa aqui", pensei triunfante.

Estava um pouco distante mas consegui reconhecê-la. Logo, quem está do lado só pode ser... Só pode ser... Hummmm... Deve ser ela.

Caramba, que resolução horrível. Os organizadores deveriam colocar as fotos em qualidade melhor, afinal como os participantes conseguirão imprimir uma foto dessas? Como eles poderão uasá-la como papel de parede? Como eu vou saber como é o rosto da garota?

Não me dei por vencido e determinado a, ao menos ter uma idéia de como ela seria, encontrei a melhor versão da foto (no site tinha várias), joguei no Photoshop e mexi em tudo que era possível. Todos os meus 10 anos usando esse programa foram usados nos minutos seguintes e então...

Nada.

Ficou a mesma coisa. A foto estava muito ruim.

Só tem um jeito de saber como ela é. Peguei o papel, abri uma nova mensagem e comecei a digitar.